terça-feira, 29 de março de 2011

SOBRE FRÁDIGAS

Frádigas é uma aldeia da Freguesia de Vide

Frádigas é uma das mais bonitas aldeias de Portugal

Está dentro do Parque Natural da Serra da Estrela

Antes de ser Aldeia de Frádigas foi a Quinta das Fradegas com cerca de 200 hectares

Tem o Rio Alvôco a seus pés com autenticas piscinas naturais
com águas cristalinas , onde se podem pescar; trutas, ínguias, bordalos e bogas
Quem uma vez a visita, jámais passa sem voltar

Tem vestígios de uma Aldeia anterior

Tem uma ponte num sítio onde a mão do homem roubou ao leito do rio umas centenas de metros de terra fértil, em tempos em que não havia máquinas aí existe uma parede de pedra feita em cunha para que o Rio quando vai cheio não galgue para dentro dessas terras de cultivo que ao rio foram roubadas

Tem por baixo dessa ponte uma queda de água para a " broca" nome dado ao local onde a água cái" e que criou ao longo dos anos um grande poço

Por baixo da ponte do lado direito tem vestigios de um antigo moinho;
além deste tem mais três dentro de Frádigas, outros entre Frádigas e Aguincho

Também entre Frádigas e Aguincho há um viveiro de trutas onde estas podem ser apreciadas num espaço de Restauração aí existente

Mas como a aldeia de Frádigas não escreve, quem aqui escreve sou eu: Cândido J T Martins
--------------------------------------------------- -----------------------------

Telefone:

Só em 1970 o posto de telefone publico chega a Frádigas

Funcionava na mercearia do tio Joaquim Mendes

Tanto ele como a mulher sempre manifestaram boa vontade para chamar fosse quem fosse para atender em determinada hora a chamada normalmente de um filho que se encontrava em Lisboa

--------------------------------------------------- ------------------------------
A electricidade:

Embora o muito empenho da Liga dos Amigos de Frádigas
Só em 1973 é chegada a luz eléctrica às Frádigas

--------------------------------------------------- ------------------------------
A Estrada:

Só em 1975 chegou a Frádigas

Logo após a revolução de 25 de Abril, um grupo de sócios da LAF contactou o poder local para construção da via de acesso que ligasse Frádigas à Barriosa.
Foi então disponibilizada uma máquina para abrir a tão desejada estrada, a LAF pagou o gasóleo da maquina e o salário do maquinista e refeições.

Esta estrada só veio a ser alcatroada no início dos anos 90, com uma verba de 1.100.000 escudos disponibilizada pela LAF e 200.000 escudos pela Junta de Freguesia

Estas verbas foram entregues ao Senhor Presidente da Camara no ano de 1987 pela direção da LAF e por um membro da Junta de Freguesia



--------------------------------------------------- ------------------------------
Água ao domicilio:

O abastecimento de Agua ao domicilio so em 1980 se torna uma realidade
Antes disso era normal no mês de Agosto vermos fila de cantaros no terreiro da fonte à espera de vez para serem cheios

----------------------------------------------------------------------------------


A escola – Posto escolar oficial:



Os alunos de Frádigas eram obrigados a percorrer 6km de distância diários a pé, em condições no mínimo perigosas, atravessavam o rio ( Um dos alunos caiu ao rio e morreu.)

O Posto escolar misto das Frádigas foi criado em 1957/58.(disponibilizada uma professora)

A escola (salão) foi construida pelos Fradiguenses

Foi necessário um espaço para aí se construir a primeira escola digamos oficial.

Lembro-me de ver em casa de meus pais uma carta enviada da Argentina por minha tia materna Maria da Nactividade Martins onde declarava doar o terreno (lote) para contruirem a escola nessa propriedade onde veio a ser contruida digamos o 1º Posto escolar oficial de Frádigas foi no lugar onde hoje é O salão no Outeiro.

Como os bons Fradiguenses não gostam de perder as oportunidades, e antes que os Sr.es da Direção escolar de Seia modassem de ideia em relação ao envio de um professor

Logo logo Cândido António dos Santos e sua mulher Hermía disponibilizaram sua casa em construção da qual tiveram de retirar umas divisórias já feitas para que todo o espaço ficasse amplo para poder receber professora e alunos até que se concluissem as obras da escola (salão) no Outeiro.

Em 1962 foi constriada a escola pelo Ministério da Educação , escola essa hoje ao abandono "por falta de alunos" como tantas no País.

Antes do seu encerramento de vez, teve várias ameaças de fecho pelo mesmo motivo... falta de alunos.

Recordo e julgo ter sido no ano de 1964 que três casais Fradiguenses resolvem matricular seus filhos em Frádigas para assim se completar o numero suficiente de alunos para se manter a escola em funcionamento.

Estes três alunos vaem para Frádigas e ficam encarregues aos seus mais proximos ,avós e tios.

António Neves Ti Caramelo e sua mulher hoje já falecida, mandam para Frádigas seu filho António.

Os hoje já falecidos António Garrilha e mulher, mandam para Frádigas seu filho Carlos

Maria da Conceição Martins e seu marido hoje já falecido mandam para Frádigas seu filho António



Deixo aqui os meu bem haja de agradecimento a todos estes Fradiguenses e a outros que como eles deram algo de seu em plol da comunidade (família fradeguense)
--------------------------------------------------- ------------------------------
A primeira escola feita pelo povo hoje um Salão:

No local que foi a escola de muitos Fadiguenses. Quando a escola mudou de instalações, o salão servia apenas como arrecadação e o seu estado era tal que ameaçava ruir.
Nos anos 90, foi recuperado e hoje é um espaço com dois quartos e um salão térreo que serve de palco a vários eventos organizados pela L.A.F.
Pode ser alugado por módicas quantias.
--------------------------------------------------- ------------------------------
Pavilhão de Lisboa:

Foi construído em 1988 com um pedido de donativos aos sócios no Alvito em Lisboa.
Este pavilhão tinha a finalidade de servir os fradiguenses em festas e outros eventos organizados longe da sua terra natal.

--------------------------------------------------- ------------------------------
CAPELA

Tanto se tem escrito sobre ela e sua construção que data de 1938
quando um casal; Joaquim Martins e sua mulher Ritta Freire ofereceram o terreno e todo o terreiro involvente para ali se poder venerar Nossa Senhora da Boa Sorte

Nunca é de mais agradecer a estes Benfeitores que se desprenderam de uma parte de sua herança da Quinta das Fradegas em tempos em que qualquer pedaço de terra tinha muito valor fosse ela de cultivo ou de mato pois; a falta deste obrigava os Fradiguenses a subirem diáriamente aqueles montes para trazerem um mólho.

Será caso para deixar aqui uma pequena questão :
Não seria caso para se prestar uma pequena Homenagem aqui em Frádigas a estes Beneméritos?

Se fossem da sede da Freguesia de certo que já teriam sido homenagiados, basta chegar a Vide e deparamo-nos com homenagens "reconhecimento" a pessoas que menos fizeram pela freguesia de Vide
Não estou a tirar o mérito a ninguém que foi homenagiado em Vide,estou sim a fazer simples comparações entre benfeitorias em pról da comunidade, no caso a de Freguesia de Vide

Julgo que é a junta de Freguesia; por vezes em conjunto com a comunidade civil que resolve retribuir o mérito de certos Videnses; no caso trata-se de Fradiguenses ou melhor uma Fradeguense e um Barriosense

Sim uma Fradeguense pois Ritta Freire nasceu na Quinta das Fradegas
Um Barriosense pois Joaquim Martins nasceu na Barriosa

Joaquim Martins Faleceu na década de 1950, sua esposa Ritta Freire faleceu na de 40

CjM, Neto de Joaquim Martins e Ritta Freire
---------------------------------------------------------------------------------

O Bar e o Largo da Fonte:

Largo da fonte, antes forte da fonte, depois terreiro da fonte
Era nos anos de 1950 um forte (terra de cultivo) com uma passagem muito estreita ao fundo.
Ainda no início dos anos de 50 para a procissão passar com andores e banda de música, seu proprietario José Manuel e sua mulher Maria da Natividade Freire,(meus avós paternos) cortavam duas fileiras de caneiras de milho ainda em estado de amadorecimento, havia tambem um pequeno caminho pelo canto (levada) que dava asseço a uma bica (fonte)
Foi no início dessa década de 50 que estes dois bem feitores resolveram doar seu forte (terra de cultivo) para aí ser construido o tanque e fontanário publico

Nos dias de hoje e graças aos melhoramentos e construção do bar, palco de festas etc, pela Liga dos Amigos de Frádigas
Este antigo Forte recebe nos dias de festa (Quarto Domingo do mês de Agosto sexta, Sáb, dom e segunda) não só todos os Fradiguenses como centenas de visitantes

Nota:
Os filhos de José Manuel e de sua mulher Maria da Natividade Freire, já não assistiram ao reconhecimento que seus progenitores mereciam, (pois já todos faleceram):

-Tia Nazaré (do Barroco)
-Tia Encarnação (do Barroco)
-Meu pai (TiZé do Barroco)
-Tio Manuel Pereira (do Barroco)
-Tia Assunção (da Fontanheira)
-Tia Maria que morreu no parto de sua filha Maria (do Muro)que foi criada pelos avós(dela e meus)

Quem sabe alguns dos netos ainda vivos (sendo eu o mais novo), possamos assistir ao reconhecimento merecido destes BENFEITORES de Frádigas-Vide-Seia

Cândido José Turing Martins
Nascido no Barroco-Frádigas-Vide
Em 09/02/1957



--------------------------------------------------- ------------------------------

Sem comentários:

Enviar um comentário

Pela sua ópinião bem haja